Estudou Cinema na Academia Internacional de Cinema, Designer de Interiores na Panamericana Escola de Artes e atualmente cursa Bacharelado em Artes Visuais na Universidade Belas Artes, de cursos livres fez Cenografia com Raul Belém, Desenho Técnico no Senac e Produção Gráfica com Aline Valli.

 

Começou a trabalhar com direção de arte em 2007 nos curtas “Maça de Botero”, direção de Moira Toledo e Marina Weis, fazendo assistência de arte para Akauê Barkó e “1x1”, direção de Alexandre Ingrevallo, fazendo assistência de arte para Gerson Delly. Fez mais de 14 filmes, entre eles “Olvidado” no qual ganhou o prêmio de melhor direção de arte na Mostra AIC e “O Sangue Pelos Filhos”, que participou do Festival BrasilCine na Suécia e trabalhou fixo na produtora Estilingue Filmes.

 

No teatro seu primeiro trabalho foi em 2009 com a peça “O Pelicano” direção de Denise Weinberg, fazendo assistência de cenário e figurino para Carlos Colabone, depois trabalhou nas peças: “Os Espectros” direção Francisco Medeiros, fazendo assistência de figurino para Marichilene Artisevskis, “Ano Novo, Vida Nova” da Cia. Disritmia Cênica, fazendo assistência de cenário para Julio Dojcsar e Sato, “O Crápula Redimido” direção de Leonardo Cortez, fazendo assistência de cenário para Frederico Foroni, “Brincando com Fogo” direção Nelson Baskerville, fazendo assistência de figurino para Silvana Marcondes e design gráfico, “Credores” direção Nelson Baskerville, assinando o cenário com Baskerville e design gráfico, “17X Nelson – Se Não É Amor, Não É Eterno”, fazendo assistência de figurino para Marichilene Artisevskis e design gráfico, “7 Gatinhos”, assinando o cenário com Baskerville e design gráfico e o monólogo “Córtex”, assinando o cenário com Baskerville e design gráfico. Assinou também a direção de arte (cenário e figurino) com Maíra Suzuki do espetáculo "Confesso" e fez a adaptação do cenário e design gráfico do espetáculo “Luisa Se Choca Contra Sua Casa”, peça encenada originalmente em Buenos Aires, que teve uma montagem no Brasil, realizada pelo próprio autor e diretor argentino Ariel Farace. Assinou com Maíra Suzuki a direção de arte e figurino da peça-filme “Enquanto Estiver Aqui” do Teatro Para Alguém e fez também o vídeo-clipe de animação “Uirapuru”, da banda Pequeno Cidadão, fazendo assistência de cenário para Silvana Marcondes. Também participa do grupo Pavio de Abajour, companhia de pesquisa em teatro de sombras, no qual realizou o espetáculo “Histórias Que o Vento Contou” em parceria com a OFIJ – Orquestra Filarmônica Infanto-Juvenil.

 

Em 2010 começa a trabalhar com design gráfico sendo assistente do designer Fernando Sato, no coletivo de artes casadalapa. Com Sato trabalhou até janeiro de 2012, nesse período trabalhou com diversas companhias teatrais, com a UEE, entre outros. Desse período destaca-se a preparação e finalização dos materiais do livro “25 Anos Com A Pia Fraus” e “Nóz - Caderno Livre, Raptada Pelo Raio” e as revistas “Bonecaria - Panorama Do Teatro De Animação Na Cidade De São Paulo” e “Fanzine São Jorges - número 8”. A partir de 2012 passa a assumir seus próprios trabalhos, assumindo a função de designer gráfico e produção gráfica na Cia. Mamba de Artes, e dos trabalhos do diretor teatral Nelson Baskerville. Também em 2012 é responsável pela criação da logomarca da Mostra Centário Strindberg na Rede Sesc SP e pelos painéis da instalação “8 Gabinetes para Desconstruir”, concebida pelo cenógrafo Julio Dojcsar, também para a Mostra Centenário Strindberg. Nessa parceria cenário/designer gráfico, cuida da pesquisa, tratamento e preparação das imagens dos estandartes e cenografia da encenação “Auto da Independência” realizada no Parque Ipiranga em 2012 pela Prefeitura da Cidade de São Paulo e em 2013 é responsável pela parte gráfica da segunda temporada da série “Elmiro Miranda Show”. Durante o ano de 2013 fez uma parceria com o Instituto Condomínio Cultural Mundo Novo, no qual ficou responsável pela criação do material de divulgação do espaço e também realizou trabalhos para os Doutores da Alegria.